8

Boneca Menina Flor – PAP

Bonequinha inspirada em uma que tinha antigamente que era um vasinho de flor, quando abria se tornava a menininha que também era um fantochinho e as flores seu chapéu.

Pra mim totalmente sentimental <3

Inspirem-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sem título MoldeBonecaFlorAM1 MoldeBonecaFlorAM2

0

10/10/17

Hoje era um daqueles dias que a gente tem mil coisas pra resolver na rua. Precisava ir em dois bancos, comprar um chinelo pra um filho, pijama pro outro, comprar enchimento pra fazer os presentes das professoras (esse com urgência pois ainda tinha que confeccionar duas peças até o final do dia! e consegui!), comprar lanchinhos para o piquenique de um, passar na escola do outro pra acertar o passeio, comprar uma garrafinha, ir no açougue e no mercado. As quarto últimas deixei pra amanhã. A contra gosto. Fiz o que deu antes do meio dia que é quando um chega da escola. A tarde empenhei nos presentinhos.

Acordei. Mandei os meninos pra escola. Tomei café. Uma horinha de costurices. Fui me arrumar pra sair. Peguei uma bermuda. Troquei por uma calça. Peguei uma sapatilha. Troquei pelo tênis.

Peguei os fones de ouvido. Mudei de ideia na saída. Ida ao banco requer atenção dobrada ao movimento. Três detalhes bobos que me soaram como intuição. Ouvi. Obedeci.

Andei uns 300 metros e plaft. Levei um tombo ridiculamente bobo. Fazia muito tempo que isso não me acontecia. Ali no meio do movimento, pessoas passando, ônibus com uma boa plateia, funcionários trabalhando. Vergonha imensurável. Uma doce senhora me ajudou levantar, limpar a roupa e me situar.

Aquele segundo entre virar o pé e me estatelar no chão passou em câmera lenta. Em um piscar de olhos, pude ouvir com o coração, a voz de um amigo me chamando de “Quedinha”, apelido carinhoso que me deu, imagina-se o porque. Eu era muito boa em cair. Na rua, no transporte, no shopping. Não podia ver uma vergonha que já queria passar. Não sei explicar, acontecia. Com frequência. Fiquei em dúvida se voltava pra casa pra chorar em paz. Não seria prudente protelar todos os afazeres. Um riso frouxo se apoderou e segui em frente. Trouxe várias lembranças. Visitei o passado. O coração transbordou de ternura. Vi muitas pessoas que fizeram parte de um bom pedaço da minha vida. O sorriso me acompanhou todo o caminho. Junto das boas memórias.

Lembrei-me da época do meu primeiro emprego. Era uma menina com 16 anos. Começou com um estágio de um micro salário. Eu achava o máximo desbravar as ruas da cidade. E ir pra escola depois do trabalho. Me sentia importante. Convivi com tantas pessoas incríveis. Claro que tinham as pedras nos sapatos, porém hoje só me amarrei nas que tocaram e mudaram de alguma forma positiva a minha vida. Fiquei 5 anos lá. Já fazem quase 12 que sai. Ainda mantenho algumas boas amizades. Outras amizade permanecem no catálogo das redes sociais. Outras daria tudo pra encontrar novamente. Mesmo que fossem só nas redes, só pra acompanhar de longe suas aventuras.

O joelho inchado e ralado funcionou muito bem nas 3 horas de caminhada. Tenho impressão que foi o coração aquecido. Depois quando repousei é que senti a dor. Dor essa que pouco importa. O risinho da manhã ainda está grudado no meu rosto. Assim como as memórias. Enquanto eu respirar, vou ser grata a todos vocês <3

0

07 de Outubro

Todo dia 6 de Outubro eu fico assim, nostálgica.

As 9 da noite começou o trabalho de parto.

Uma noite inteirinha com cada segundo registrado na memória, na pele e na alma.

Há 14 anos, no dia 7, depois de 39 semanas e 5 dias, 14 horas de contrações, quase 11 horas da manhã, com 3.300 quilos e 48cm, chegou minha menininha.

Não existem palavras pra descrever esse momento.

Nem tantos outros.

É só sentir.

É único, pessoal e intransferível.

Pra mim, maternagem se resume a amor e dor. Dói o tempo todo. E o amor contorna e faz seguir em frente.

Dói o susto.

Dói a dúvida.

Dói a insegurança.

Dói o medo.

Dói o desconhecido.

Dói a pausa no eu.

Dói os sonhos.

Dói os anseios.

Dói os desejos.

Dói a abnegação.

Você chegou em outubro mas eu já era mãe desde janeiro. Desde quando passei a ser nós duas.

Minha listinha de prioridades nunca mais foi só minha.

Me desfiz e me refiz tantas vezes.

As temidas dores do parto são treinamento. Ali na hora parecem ser tudo. Depois a cada nova dor aquelas viram saudade. Porque ali literalmente era em mim. Todas as outras que vi doer em ti queria poder transferir pra mim. Quando dói ai, aqui é pelo menos duas vezes mais.

Pequenininhos dói um cansaço físico exaustivo.

Depois dói a independência.

No parto nem se sente ao cortar o cordão umbilical.

Agora quando ele é rompido depois de grande…

Ah, essa dor!

A gente vive pelo filhos e depois não sabe mais viver sem eles.

Gi, minha filha, meu amor, minha vida. Primeira vez que passamos longe fisicamente… Que seu dia seja lindo! E sua vida abençoada e próspera! Feliz aniversário amorzinho!!!

Eu poderia dizer que te queria grudadinha em mim como quando era na gestação.

Mas mesmo doendo tanto, eu prefiro te ver crescendo e voando.

O ninho continua pra sempre disponível meu bem 💞

0

Quadrinho PennyWise quase fofo em feltro – PAP

Eu sou cinéfila! Há tempos amava filmes de terror, agora sou medrosa. Disse que não iria ver o filme It, porém vi ótimas resenhas, vi o mestre Bill Skarsgard dar vida a um magnífico personagem e baseado em um livro de um autor muito bom. Não deu outra, paguei a língua e a curiosidade superou o medo.

Sai totalmente apaixonada pela obra.

Fiz esses quadrinhos inspirados, minimalistas e quase fofos. A D O R E I =)

Inspirem-se!

IMG_7520. IMG_7519. MoldePennyAM

2

Quadrinho Ti Barbearia Em feltro

Fiz esse quadrinho com o logo da barbearia do meu irmão.

Tentei seguir fielmente ao desenho. Duas camadas de feltro e recheio de manta acrílica todo costurado a mão. Fundo com feltro em uma moldura de porta retrato de 30X40cm.

Eu curti!

Inspirem-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

b a PicMonkey Image.

0

Bandeirolas Um Sofá

Eu acompanho uns escritores que gosto muito de 100% dos textos hehe Eles tem um grupo que se chama Um sofá. São três caras incríveis, o Matheus Jacob, o Zack Magiezi e o Wally Wilde. É bem fácil os encontrar nas redes sociais e vislumbrar o trabalho deles. Recentemente fui no lançamento do livro de um e levei esse presentinho que fiz com extremo carinho em cada pontinho. É um varal de bandeirolas com o nome do conjunto e com detalhes que marcam cada um. O gorrinho do Wally fazendo referencia ao Onde está Wally, o girassol é a flor preferida do Zack e o Matheus é apaixonado por café.

Já mostrei como faço em um vídeo no canal do youbube.

Inspirem-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

2

Encomenda Buquê de corações

Buquê de corações em feltro feito para uma encomenda. São 15 corações de aproximadamente 8cm de largura cada. Eles são no palito envoltos com fita para ser jogado pela noiva e serem pegos individualmente.

Para orçamentos, somente por email falecomalinne@gmail.com

Inspirem-se!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

0

As melhores coisas da vida

Hoje dia 14, faz um mês que embarcamos para nossa viagem de férias em família. Fomos eu, meus três filhos e minha mãe, para Lucélia, cidadezinha no interior de São Paulo, centenas e centenas de quilômetros de casa, onde vivem dezenas e dezenas de familiares e amigos queridos.
Havia dez anos que eu tinha ido lá. Meus meninos nunca tinham ido. Isso não estava certo.
As despesas são pesadas. Usando a cabeça é compreensível. As melhores coisas da vida não são coisas não é mesmo!? Precisava muitos dessas não coisas!
Minha mãe fotografou (e foi postando em tempo real) toda nossa aventura.
Eu venho agora compartilhar os meus registros da alma.
De casa até a rodoviária já é uma mini viagem. De condução, com malas e crianças e emoção.
Fomos!
Tia Lia e tio Valdemar nos encontraram para entregar umas coisas e podemos ter a quem nos despedir pela janela do ônibus. Coração já foi aquecidinho. Nos lembrando que deixamos aqui não coisas muito importantes para termos onde voltar.
As horas paradas na estrada com o ônibus quebrado aumentaram para dez o total nesse caminho.
Chegamos lá recepcionados pelo Dinho. Pessoa divertida, turrona, não vale um tostão furado e ao mesmo tempo vale ouro. Quando eu era criança, tínhamos mais contato, morava perto e tenho boas memórias. Mais que sobrinho, era um amigo e companheiro para minha mãe.
Meu pai também gostava muito dele. Aquele ditado de quem adoça a boca dos meus filhos, adoça a minha também, se aplica aos nossos pais igualmente.
Em seguida encontramos o Nei. Nei é mais reservado, mais na dele. Logo bagunçamos sua rotina e ele ficou na nossa também. rs
A anfitriã é a tia Maria. Atual matriarca dos Cardoso – Barbosa.
Todo e qualquer adjetivo que eu usar é muito pouco para descrever essa mulher. Posso definir como coração. Um doce e gigante coração cheio de ternura.
A mulher do, digo, a Vilma, que satisfação te conhecer! Decidida, firme, empoderada. Amigona!
E a Kel e a super mãe dela. Kel, menina linda! Vi criança, agora está uma moçona. Parceira da minha menina. Karine, ah Karine. Nossa sintonia parece que vem de outras vidas. Empatia chegou e grudou na gente desde o primeiro olhar. Te quero tão bem!
Lucinha, que casa harmoniosa e agradável você tem! As crianças amaram e queriam o tempo todo a casa da tia Luci. Que belo casal você e Luis. Rodrigo vimos pouco , mesmo tão grande continua com aquele mesmo olhar bondoso de quando era menino.
Podemos ir ver a Karina e sua linda família. A Sarinha recém chegada e a Sofia encantadora. Seu marido ponta firme e sua sogra dedicada. Que doce lar!
Tio Zezinho atrapalhadinho mas gente boa! rs Um paizão e agora vozão maravilhoso. Tereza, que bom que tem muita fé, sabe que tudo ha de se ajeitar!
Zilda, aaaah! Tenho um carinho tão especial por ti! Esteve aqui pertinho tanto tempo, sofremos quando foram embora. Você e Claudio são aquele casal que sabemos que nasceu um pro outro mesmo. Faz o melhor bolo de chocolate que conheço. Tão mãezona! Três filhos adoráveis. Sheila virou um mulherão, Shel um rapaizão dahora e Neno ainda vejo aquele menino na barra da saia da mãe. rs E isso é tão bom! Eles cresceram mas sabem que podem ali permanecer que são muito amados e amparados.
Zana, suas meninas são uns amorzinhos! Gi adora Cintia e os meninos Paloma, todos curtimos todos! rs Aloisio é um cara muito bacana! Você é merecedora de ter conquistado essa família querida! Lembro-me de ti batalhadora desde sempre!
Cidinha, queria poder te ajudar encontrar essa Cidinha que mora ai dentro.
Néu, que bom te ver! Fez parte da minha infância também. Sempre ajuizado, bondoso e digno. Fico muito feliz em saber que tem uma família bacana.
Nani, menino divertido. Que bela família você formou! Que bom!
Tia Mariquinha lindinha! Se reerguendo dos tombos da vida. Forte e bem amparada por suas filhas. Logo estará ainda mais maravilhosa!
Dora e Gi, que bolos deliciosos! Uma tarde super agradável passamos.
Terezinha e Zezito uma simplicidade encantadora naquela casinha de madeira tão bem retratada na minha cabeça.
Washington, admiro tanto! Pega as responsabilidades tudo pra ele. Olha, se nessa vida tudo está difícil, saiba que você está no caminho certo. Esse mundo não te merece porque você merece é muito, nada de mixaria. Tem muito que ser feliz e o caminho que você trilha cheio de amor há de valer a pena! Larinha é sua herança bendita.
Keteliny, ooo moça joinha. Companheirinha do irmão e da vó. Três meninas adoráveis você tem. Que sorte a delas ter você!
Claudineia, miga sua louca! rs Tu é linda mulher! Adoro seu jeito de falar tudo na lata e se livrar das amarras da vida. Seus filhos são o máximo! Carlos é um tchutchuco e apaixonei na Claudinéiazinha! rs O TioPai deles faz um excelente serviço, você sabe né!?
Gabi, menina, juízo com essa bebezinha heim! A gente pira mas se transforma tanto! Espero que sua mudança seja sempre pra melhor!
Wesley, bom te ver crescido, pai de família, batalhador! Com esposa do lado. Conheci só o Erick e já queria pra mim. Menino legalzinho demais!
Lucas, um moço! Lembrava só mulecote. Fiquei feliz em ver que esta arrumando a vida. Que possa prosperar muito com a Kelly e o bebezinho.
Mateus, queria tanto ter te visto! Da última vez fiquei muito ligada a você, sempre o quis tão bem como se fosse meu próprio filho! Na próxima você não me escapa!
Mizão, ooo seu bobo, foge não! Nem adianta fingir de durão que eu vejo através da sua casca que mora um menino maravilhoso ai heim. Falta ajustar uns parafusos mas a essencia é boa!
Laudicéia, obrigada por ter trago ao mundo esses filhos maravilhosos!
Carlinhos, eu não te vi mas te senti! Vi sua casinha que te espera. Na oração silenciosa da sua mãe. Na humildade dos seus meninos. Todos tão prestativos e amorosos. Te vi nos olhos de todos eles. Te vejo em minhas preces junto com todos seus filhos diariamente.
É extraordinário poder ser quem somos de uma maneira tão simples e leve ao lado de pessoas humildes, receptivas, bondosas, com defeitos obviamente, assim como todos. Não precisar de maquiagens, roupas novas, formalidades. Comer com colher comidas simples e saborosas. Sentar na cadeirinha da varanda, na calçada, no quintal dos fundos ou mesmo no chão em qualquer lugar. Observando as galinhas, as arvores. Ver as crianças soltas, brincando na terra, com o passarinho, com os pintinhos, com pés descalços. Sem precisar ficar podando suas traquinagens. Livres!
A tv com três ou quatro canais. Sem desenho o tempo todo. Sem wifi e netflix. Assistindo novelas, jornais de tragédias, programas de auditório sensacionalistas. Fazer caça palavras jogando conversa fora.
Passear no circo. Deslumbrar aquele espetáculo modesto, familiar e cheio de arte.
Sair para comer lanche, super lanche, delicioso e bem mais em conta que os de onde moramos.
Sorvetinho na pracinha.
Fazer coisas baratinhas e a maioria de graça. Ir visitar as pessoas e ganhar tanto afeto sem nada em troca.
UberDim, UberDim, cara prestativo. Parceiraço! Os meninos ate agora ficam repetindo UberDim com sorriso no rosto.
Vou falar pro Nei vir dar bronca em vocês heim. Funcionou bastante! rs
Nunca pensei que teria que brigar com alguém pra lavar a louça. Tia Maria toda vez queria me passar a perna e não deixar eu lavar.
A saudade só não é maior que a alegria que tivemos todos os minutos dessas deliciosas horas desses dias tão incríveis que passamos. Amo muito todos vocês. Obrigada!!!